28 Maio, 2008

Diagnóstico Diferencial: Possibilidades Neurológicas de "Dor na perna"


A dor neuropática é muitas vezes esquecida, mas é situação de extrema frequência nos mais variados ambulatórios. A neuropatia periférica deve sempre ser suspeitada quando um paciente se queixa de dor em membros inferiores com as seguintes características: é geralmente bilateral e simétrica; associa-se a parestesias (dormência, formigueiro); frequentemente é referida como queimadura e começa na região plantar, se distribuindo até os joelhos; está presente mesmo ao repouso, e pode ou não piorar com a actividade física. Esse é exactamente o padrão em bota, típico das neuropatias. O exame físico pode ser normal. Porém, em geral, evidencia alterações da
sensibilidade, principalmente a vibratória, a qual é precocemente perdida nas neuropatias. A causa mais comum é a chamada idiopática, pois um factor etiológico ainda não pode ser bem estabelecido. Em segundo lugar, está o diabetes melitus, evidenciando a necessidade da glicemia nestes casos. Outras causas a serem investigadas são: alcoolismo, que cursa com dor intensa e poupa membros superiores; insuficiência renal cronica; drogas, principalmente a quimioterapia; paraneoplasia (como no mieloma múltiplo); infecções (HIV); amiloidose e sarcoidose.

Outra causa neurológica de extrema prevalência é a dor indicativa de radiculopatia por compressão, como a dor ciática. É geralmente de forte intensidade e respeita um dermátomo específico. Por esse motivo, é vital o conhecimento da distribuição dos dermátomos nos membros inferiores. Um acometimento sugerindo L5 ou S1 deve sempre despertar a hipótese de lesão discal, tornando o exame físico extremamente útil: Lasegue, testes de sensibilidade, reflexo patelar e aquiliano e de força muscular (flexão da coxa L2 e L3; extensão da perna L3 e L4; flexão dorsal do pé L4 e L5; extensão da coxa L4 e L5; flexão da perna L5 e S1; flexão plantar do pé S1 e S2). A raridade da doença discal degenerativa acima de L4 torna imediatamente aparente que a dor na parte anterior da coxa não deve ser tão prontamente atribuída à doença
discal, devendo sempre ser suspeitada uma causa mais séria. A raiz mais frequentemente comprometida pela doença discal degenerativa é L5, e a irradiação usual da dor é para a nádega, pela parte posterior e lateral da coxa, pela parte lateral da perna pela articulação do tornozelo até o dorso e a sola do pé. A dor severa no hálux parece ser particularmente típica de uma lesão da raiz L5. Na lesão de L5 o paciente pode se queixar de estar tropeçando muito, caracterizando o pé caído.

A meralgia parestésica provoca sensação de queimadura e parestesias nas regiões lateral e média da coxa. Ocorre por compressão do nervo cutâneo lateral da coxa devido à obesidade, uso de calças apertadas e também na fase final da gravidez. Muitas vezes um factor desencadeante não pode ser identificado.

Por Dr. José Luiz Pedroso

10 comentários:

Anónimo disse...

fui operada há 5 meses a uma hérnia discal situada na L5 S1 e fiquei bem, pois a dor e adormecimento que tinha na perna desapareceu. Fiquei sem trabalhar durante 1 mês. Ao fim de 3 por conselho médico fui para um ginásio para fortalecer os musculos. Há cerca de 3 semanas apareceu-me uma dor na perna e voltei ao medico que após me fazer uns testes de sensibilidade me informou como sendo negativo para diagnosticar uma nova hérnia. Tomei voltaren durante 15 dias e parei o ginásio mas a dor não desapareceu. A dor que tenho neste momento é na parte anterior da coxa e parte lateral da perna.
será uma dor muscular?
qual o tratamento?

obg.

Bruno Moreira Campos disse...

Bom dia,

Essa dor pode ser produzida por causas músculo-esqueléticas (tendinites, bursites, etc), vasculares, viscerais, neurológicas ou apenas fadiga muscular. É fundamental recolher dados importantes numa anamese cautelosa e exame semiológico rigoroso, para se fazer um diagnóstico acertado.

É impossível poder ajudá-la desta forma, mas talvez possa orientá-la. A dor é maior com o movimento ou alivia com o movimento? Doi com o repouso? Incomoda durante a noite? Tem febre? Quando tosse doi? A menstruação está normal? Há currimento anormal? Tomou alguma coisa para alívio? O que alivia a dor? O calor alivia ou agrava?

Anónimo disse...

Olá boa noite.
Muito obrigada pelo seu comentário.
Quanto às perguntas que me faz posso informar que a dor atenua quando inicio o movimento sendo que a pior altura do dia é a manhã após acordar. Como me doi vou para o chuveiro e deixo estar a água quente com pressão como que a massajar toda a perna, mas como disse anteriormente a dor vai minimizando ao longo do dia, pois não desaparece após a "massagem" com a água quente. A botija de água quente também é um dos meus aliados ao fim de semana no sofá. Não foi o caso deste fim de semana, andei a pé durante um bom tempo (shopping) e confesso que me senti um bocado cansada e com alguma dor desconfortável por toda a perna. No dia seguinte para descansar fiz o inverso estive sentada durante 3/4 horas a assistir a uns jogos numa cadeira pouco confortável e confesso que também não foi a melhor solução pois acabei por sentir uma sensação de dor quando me levantei. Tenho de descobrir o meio termo...
Não tenho febre nem me doi ao tossir. Menstruação já não tenho desde o nascimento do meu filho, pois fizeram-me uma histerectomia sub-total. Não tenho corrimento anormal. Tomei voltaren 75, mas como não me aliviava deixei de tomar.

obg.
obg.

Bruno Moreira Campos disse...

Não tem de agradecer.

É uma dor de ritmo inflamatório e embora seja arriscado um diagnóstico à distância, parece-me do foro músculoesquelético. A artrite coxo-femoral ou tendinite são 2 hipóteses com esse quadro.

Que idade tem?

Anónimo disse...

Boa noite. Tenho 37 anos.
Para o diagnóstico que apresenta qual o tratamento a seguir para minimizar as dores, uma vez que estas não atenuam com o voltaren?

Obg.

Bruno Moreira Campos disse...

Boa noite,

Entenda que para aconselhar um tratamento adequado teria que ter a certeza de 1 diagnóstico e isso não consigo fazer desta forma.

Experimente um Paracetamol para as dores e o Brufen (AINE).

Bruno Moreira Campos disse...

O melhor conselho que posso dar-lhe é que consulte um profissional de saúde qualificado.

Uma rápidas melhoras.

Cump.

Anónimo disse...

Boa noite.

Vou seguir o seu conselho e consultar o médico.

Obrigada por toda a informação disponibilizada.

Cumprimentos,

Luiza disse...

Bruno, faco consultas regulares ao urologista porque sempre tenho pedra nos rins e experimento a colica renal que estas pedras provocam. Conheco bem essa dor. O fato inusitado esta semana foi ter a dor renal e perceber que, junto com ela, a parte lateral do coxa direita( so' nessa perna) ou femur tambem doia e que pressionando o local com os dedos eu sentia uma dor no visivel no osso. Achei que fosse um reflexo da dor nos rins, porque eu sempre tive colica renal e essa dor nao raro sempre irradiava para pernas e costas. O sinal de pedra nos rins era sempre o mesmo - caso eu sentisse dor ao andar de carro, ou se eu ficasse 20 min em pe' e a dor comecasse era so' fazer o ultrassom dos rins e vias urinarias que as pedrinhas estavam la, era uma logica ate' entao. O problema e' que tenho tido essa dor vez ou outra ha' uns 2 meses(achei ate' normal, tendo em vista eu estar em tratamento para me livrar de 4 pedras diagnosticadas ha' algum tempo)e ,para minha surpresa, na USG,exame feito dia 18/12, meu rim apareceu livre de qquer calculo, asssim como nenhuma alteracao foi encontrada no ultrassom do abdomem total. O medico do USG sugeriu que eu fosse ao ortopedista p investigar uma possivel causa de problema com nervo ciatico. Nervo ciatico apresenta quadro de dor compativel com colica renal?? O meu pescoco estrala qdo movimento p os lados ou p tras, isso tem a ver com o ciatico? Tenho condromalacia nos 2 joelhos, estadio II, alem de edema medular no femur D, tendinite no ombro, joelho e tornozelo D(fui atleta por muitos anos). Sim, tenho tido febre de vez enquando e nos ultimos 5 meses eu tive irregularidade no ciclo menstrual (mes nao tinha fluxo nenhum, no outro tinha um sangramento insignificante, quase nada e e' a 1 vez que isso ocorre, tenho 42 anos). Rigidez na nuca eu tenho de vez enquando, exames de RM, TC e ate' angioressonancia nao apontam p nada serio(Ja tive meningite viral com comprometimento da membrana subaracnoide aos 19 anos com 17 dias de internacao). A dor passa com 2 ou 3 drageas de buscopan composto e 1 dragea de diclofenaco de potassio-o cataflan, e, claro, fico deitada). Nao tenho nenhuma outra queixa a nao ser essa maldita dor "fantasma" que, as vezes, dirigindo ou em pe ela comeca, e, agora, sei nao e' o rim,mas que e' intensa como uma a colica renal, acompanhada as vezes de febre e que faz doer o osso da coxa D.
Queria saber o sua opniao, ler o seu comentario sobre esse mix de situacoes que eu relatei. Ah.., sei que vc nao esta aqui para diagnostico on line, mas quero a sua analise de "tem a ver" ou "nada a ver".
E enquanto isso minha mae diz: tenha fe' , minha filha..rss
Obrigao pela atencao!!
Luiza

Luiza disse...

Ah...ia esquecendo de desejar para voce um excelente fim de ano e muita saude e sucesso!!
Vou aguardar a sua resposta
Luiza

Para pré-marcações ou ouras questões também pode usar este formulário

Nome

E-mail *

Mensagem *