05 julho, 2009

Comparison of Osteopathy with Manual Therapy for the treatment of patients with Craniomandibular Dysfunctions


Study Design
Randomized controlled trial (RCT) / Clinical pilot study

Hypothesis

Osteopathy shows better results in the treatment of patients with craniomandibular dysfunctions than manual therapy (according to the CRAFTA® concept).

Relevance for the Patients

Relevance for Osteopathy

Methodology

•Patients: 20 participants (18 female and 2 male) aged between 19 and 65 years. The patients were randomly divided into two groups. The result was a distribution of 10 patients (9 female and 1 male) in the study group osteopathy and 10 patients (9 female and 1 male) in the comparison group manual therapy (according to the CRAFTA® concept).•Measurement parameters (and measuring methods): Pain (VAS assessment and SES questionnaire), health-related quality of life (SF36 questionnaire), mouth opening (inter-incisor distance (IID) measurement),muscle tension (Biofeedback EMG measurement).•Inclusion criteria: Pain in the region of the muscles of mastication,bruxism (grinding) or bracing (compressing), deviation when opening the mouth, restricted ability to open the mouth,clicking noise when opening the mouth.•Exclusion criteria: Pronounced dysgnathia, facial pain due to systemic, neurological or psychiatric diseases, acute or chronic TMJ trauma, sinusitis.•Treatment procedure: Three treatments per patient within a period of two weeks following a black-box approach. The measurements and interrogations were carried out before the first and after the last treatment. The patients in the study group osteopathy were treated by the author Anett Hörster, the patients of the comparison group by a certified CRAFTA® therapist.

Results

Regarding the measurement parameters pain, mouth opening and muscle tension both, osteopathy and manual therapy (according to the CRAFTA® concept) facilitate significant improvements for the treatment of patients with CMD. In this context osteopathy is significantly more effective concerning the parameter pain. Regarding the health-related quality of life only osteopathy has a significant effect and in comparison works significantly better than manual therapy (according to the CRAFTA® concept) which could not achieve an improvement of this parameter at all.

Critical Reflection/Perspectives/Conclusions

A follow-up study over a longer period of time (with an additional final check-up appointment) and with more participants, who are treated alternately by a team of therapists is recommended to verify the results of the present study and to put them on a sound basis.

Additional Information


Author
Anett Hörster
Publication Status
Finished
Publication Type
Thesis/Dissertation
Language
English
Entry Month
March 2009

Tratamento Osteopático na Disfunção Temporo-Mandibular

Como as causas para a Disfunção Temporo-Mandibular (DTM) são multi-factoriais, o tratamento é algumas vezes multi-disciplinar, podendo envolver a ortodontia, neurologia, reumatologia, osteopatia, podologia e fisioterapia.
-
Neste artigo, por razões óbvias, vou apenas desenvolver a abordagem do tratamento osteopático.
-
A função do Osteopata (depois de uma anamnese cuidada) é a de avaliar a mobilidade da articulação temporo-mandibular (ATM), palpando restrições articulares e o comportamento dos músculos envolventes. Observa desvios laterais da ATM e faz uma avaliação da mobilidade craniana. Seguindo os princípios e filosofia Osteopática, as disfunções cranianas podem afectar a mobilidade da articulação, isto é, disfunções no osso temporal (rotação) ou no osso esfenóide podem causar disfunção na ATM pelas suas relações anatómicas, como referi no artigo anterior. Como o tratamento Osteopático é mestre na abordagem holística do paciente, as disfunções no sacro são também pesquisadas pela relação sacro/craniana.
-
Depois de uma avaliação de todo o complexo articular e mecânico envolvente da ATM (ossos do crânio, ATM, músculos, sacro, mobilidade/restrições), o Osteopata está em condições de perceber onde são as disfunções e fazer um diagnóstico.
-
O tratamento é gentil, sem dor e atinge rapidamente o alívio sintomático da dor e o aumento da amplitude articular. A técnica de "Muscle Energy" costuma ser bastante utilizada como tratamento directo, para além das técnicas cranianas. As disfunções do sacro são também tratadas com técnicas directas ou indirectas.
-
A Osteopatia permite pensar de uma forma mais abrangente, olhando sempre para as relações estruturais e funcionais das estruturas, considerando um tratamento também ele mais abrangente e mais eficaz.
-
Ref: Foundations for Osteopathic Medicine, 2nd

Disfunção Temporo-Mandibular

A disfunção da Articulação Temporo-Mandibular (ATM), enquadra-se nas Neuralgias Cranianas.
-
A ATM é a articulação que une a mandíbula ao crânio. É formada pela cabeça do côndilo mandibular e a fossa mandibular do osso temporal, que estão separadas por um disco articular fibrocartilaginoso. A reforçar a articulação existem os ligamentos estilo-mandibular e esfeno-mandibular que unem a mandíbula ao osso temporal e esfenóide. Os músculos envolvidos na ATM são os temporais, os pterigóides (médio e lateral) e os masseter. São músculos com inserções no osso temporal, esfenóide e mandíbula. A sua inervação é transmitida pelos ramos mandibulares do nervo trigémio e por ramos do nervo facial. Os movimentos articulares são a oclusão, protrusão e retrusão.
-
Durante a protrusão, o côndilo da mandíbula desliza anteriormente e o disco articular desliza posteriormente. O oposto acontece na retrusão. A protrusão acontece por contração dos pterigóides laterais e a retrusão é a função das fibras posteriores dos músculos temporais. Os masseter, os temporais e pterigóides médios fecham a boca (oclusão).
-
A disfunção da ATM é pois o funcionamento anormal de um ou mais destes elementos e está relacionada com: causas mecânicas ( postura da cabeça, laxidão ligamentar, abertura excessiva da boca, má oclusão, "golpe de chicote", etc.), hábitos diários (bruxismo, mastigar pastilhas, etc.), causas traumáticas (micro e macro- traumatismos), causas reumatológicas (artrite reumatóide, por ex.) e outras ( ansiedade, depressão, etc.). Afecta afecta mais as mulheres na proporção 9/1, na faixa etária dos 30 aos 40.
-
Os sintomas mais comuns são: dor de "ouvido", dor de "cabeça", dor facial, dor muscular, dor na ATM, dificuldade em mastigar, crepitação ("ruído" articular), dificuldade na abertura da boca.
-
Ref Bibliográficas: Clinical Medicine-Kumar and Clark; .www.cdtatm.com