09 março, 2012

Cancro da próstata: tomate pode retardar o seu crescimento


Neste estudo, os investigadores da University of Portsmouth, no Reino Unido, testaram o efeito de um nutriente presente no tomate, o licopeno, no mecanismo através do qual as células cancerígenas conseguem obter o sangue necessário para o seu crescimento e disseminação.

As células cancerígenas permanecem dormentes durante anos até o seu crescimento ser despoletado pela secreção de substâncias químicas que iniciam o processo de adesão das células cancerígenas às células endoteliais, presentes no interior dos vasos sanguíneos, permitindo às células cancerígenas obter o sangue necessário para a sua proliferação.

O estudo revelou que o licopeno, a substância que dá ao tomate a cor vermelha, interfere neste processo sem o qual as células cancerígenas não conseguem crescer.

Neste momento os investigadores estão testar se a mesma reação ocorre no corpo humano. “Esta reação química simples ocorreu em concentrações de licopeno que podem ser facilmente atingidas pelo consumo de tomates cozinhados”, revelou, em comunicado de imprensa a líder do estudo, Mridula Chopra.

O licopeno está presente em todas as frutas e vegetais de cor vermelha, mas está presente em maiores concentrações no tomate e torna-se ainda mais facilmente disponível e biologicamente ativo quando este alimento é cozinhado.

Contudo, Mridula Chopra alerta que “os nossos testes foram realizados em tubos de ensaio e são necessários mais estudos para confirmar estes achados. Mas as evidências laboratoriais que encontrámos são claras - é possível interferir com o mecanismo que algumas células cancerígenas utilizam para crescer, e isto pode ser conseguido através de concentrações facilmente obtidas através da ingestão de tomate processado”.

Todas as células cancerígenas utilizam um mecanismo similar para se "alimentar" de uma fonte de sangue saudável, mas os investigadores chamam a atenção para a importância deste mecanismo no cancro da próstata, dado que o licopeno tende a se acumular nos tecidos deste órgão.

 Estudo publicado no “British Journal of Nutrition”

Ref: Univadis

Nozes ajudam no combate ao cancro da próstata

Neste estudo, os investigadores da University of California, nos EUA, criaram ratinhos geneticamente modificados para desenvolver cancro da próstata e alimentaram-nos com cerca de 85g de nozes por dia, ou com uma dieta rica em óleo de soja que continha o mesmo perfil nutricional que a dieta anterior.

O estudo revelou que os tumores dos ratinhos alimentados com uma dieta rica em nozes eram 50% mais pequenos e cresciam 30% mais lentamente que os tumores dos ratinhos controlo.

Os investigadores, liderados por Paul Davis, também verificaram que os ratinhos que foram alimentados com uma dieta rica em nozes apresentavam níveis mais baixos do fator I de crescimento tipo insulina (IGF-1), um biomarcador associado ao cancro da próstata, níveis mais baixos de colesterol LDL, assim como diferenças na forma como o fígado, metabolizava a dieta rica em nozes em comparação com a dieta controlo.

Paul Davis revelou, em comunicado de imprensa, que os resultados deste estudo mostram que o consumo de nozes “tanto pode evitar o desenvolvimento do cancro da próstata como retardar o seu crescimento, e portanto devem ser incluídas numa dieta equilibrada juntamente com a fruta e os legumes”. "As nozes são um alimento completo que contêm várias substâncias saudáveis, incluindo os ácidos gordos ómega-3, gama tocoferol (um tipo de vitamina E), polifenóis e antioxidantes, que atuam de uma forma sinergética”.

Karen Collins, nutricionista e consultora do American Institute for Cancer Research sugere que, de acordo com estes resultados, as nozes devem ser incluídas regularmente na dieta. “A alimentação é um fator chave na prevenção e tratamento do cancro. Uma dieta saudável, a prática regular de exercício físico e a manutenção de um peso saudável é a estratégia recomendada para a redução do risco de desenvolvimento de cancro da próstata e de outros cancros.”

Estudo publicado no “British Journal of Nutrition”
Ref: Univadis


Nota do Bloguer: Num rato o normal o consumo de gordura são 5%, mas se se aumentar esse consumo para 20%, os tumores crescem bastante, 'como cogumelos'- citando o autor do estudo, Paul Davis- a não ser que esse acréscimo de gordura seja à custa de nozes, neste caso, os tumores cresciam mais lentamente que o normal. Foi isso que o estudo revelou. Portanto, há um aumento grande do consumo calórico diário, num humano representaria cerca de 500 cal/ diárias,  em nozes, mas o resultado é aparentemente um abrandamento do crescimento do tumor.

08 março, 2012

A Osteopatia pode intervir em

  • Alguns tipos de cefaleias (dores de cabeça)
  • Disfunções temporomandibulares (DTM)
  • Neuropatias (canal cárpico e outros, ciatalgias, ‘compressão de um nervo”, neuralgia do trigémio, neuralgia facial, etc.)
  • Hérnias discais e outras discopatias
  • Processos agudos e crónicos como contraturas musculares, degeneração articular (osteoartrose), tendinopatias, etc.
  • Capsulite adesiva do ombroo, capsulite da anca e outras disfunções capsulares
  • Disfunções do sistema neuromúsculo-esquelético que alterem a homeostasia e a capacidade de adaptação orgânica