05 julho, 2012

'Can Too Much Information Harm Patients?'



Faz-me lembrar aquela frase ' no dia que for ao médico, saio de lá doente.' Muito interessante este excerto. Concordo que se deve informar o paciente de tudo, porém, reconheço, que às vezes muita informação pode preocupar o paciente, retardar a cura, provocar novos sintomas ou mesmo aumentá-los. Pelos menos, é a minha experiência na prática de Osteopatia. Toda a informação deve ser bem usada, enquadrada e sobretudo entendida. Muitas vezes existem achados clínicos nos exames de diagnóstico, que na prática traduzem-se em nada. Aqui fica o apelo e um alerta aos pacientes que navegam pela net à procura de informação. Pode ser muito positivo se for ' encaminhada' para o sítio certo, partilhada com o profissional de saúde que o/ a acompanha, mas sobretudo, se existem dúvidas, consulte um profissional de saúde, para enquadrar todo o quadro clínico e aconselhá-lo/ a da melhor forma.

1 comentário:

  1. Realmente, uma informação assim dá que pensar até que ponto a "indústria" médica e também não esquecer a farmacêutica estão dispostas a ir por benefícios monetários e esquecem-se de fazer aquilo que realmente deveriam fazer, manutenção e melhoria da saúde!

    Obrigado pela partilha!

    ResponderEliminar