24 fevereiro, 2015

Aula (excerto): hérnia lombar




A regressão (ou seja absorção) de uma hérnia discal acontece numa grande percentagem das mesmas (extrusas ou com sequestro) apenas com o tratamento conservador e sem necessidade cirúrgica. O tratamento conservador deve incluir a Osteopatia como terapêutica manual, o que muitas vezes é o suficiente, o que não invalida outras abordagens complementares. Como profissional de saúde primária, o Osteopata é a ponte perfeita com a medicina convencional e é em primeiro lugar um profissional seguro tanto na avaliação como no tratamento. Aqui fica um bocadinho de um ''possível'' tratamento e um estudo em resumo sobre a regressão expontânea de hérnias discais lombares.

~The probability of spontaneous regression of lumbar herniated disc: a systematic review.~

Clin Rehabil. 2015 Feb;29(2):184-95. doi: 10.1177/0269215514540919. Epub 2014 Jul 9.

Chiu CC, Chuang TY, Chang KH, Wu CH, Lin PW, Hsu WY.
Author information

Abstract

OBJECTIVE:
To determine the probability of spontaneous disc regression among each type of lumbar herniated disc, using a systematic review.

DATA SOURCES:
Medline, Cochrane Library, CINAHL, and Web of Science were searched using key words for relevant original articles published before March 2014. Articles were limited to those published in English and human studies.

REVIEW METHODS:
Articles had to: (1) include patients with lumbar disc herniation treated conservatively; (2) have at least two imaging evaluations of the lumbar spine; and (3) exclude patients with prior lumbar surgery, spinal infections, tumors, spondylolisthesis, or spinal stenosis. Two reviewers independently extracted study details and findings. Thirty-one studies met the inclusion criteria. Furthermore, if the classification of herniation matched the recommended classification of the combined Task Forces, the data were used for combined analysis of the probability of disc regression of each type. Nine studies were applicable for probability calculation.

RESULTS:
The rate of spontaneous regression was found to be 96% for disc sequestration, 70% for disc extrusion, 41% for disc protrusion, and 13% for disc bulging. The rate of complete resolution of disc herniation was 43% for sequestrated discs and 15% for extruded discs.

CONCLUSIONS:
Spontaneous regression of herniated disc tissue can occur, and can completely resolve after conservative treatment. Patients with disc extrusion and sequestration had a significantly higher possibility of having spontaneous regression than did those with bulging or protruding discs. Disc sequestration had a significantly higher rate of complete regression than did disc extrusion.

19 fevereiro, 2015

Antineoplastos- na luta contra o cancro e pela aprovação da FDA




Tratamento (que será) inovador na luta contra o cancro e que ao ser aprovado pela FDA será a 1ª vez na história que apenas um cientista, em vez de uma empresa famacêutica, terá a patente exclusiva e direitos de distribuição do medicamento (será por isto que a aprovação está a ser tão difícil e morosa?).

Este cientista é o médico Stanislaw Burzynski, que tem um doutoramento em bioquímica e que trava batalhas com FDA (food and drug administration) há anos. Finalmente foi aprovado a passagem à fase 4, fase final de estudo (estudo de controlo randomizado), deste tratamento alternativo contra o cancro, mas que na verdade é desde os anos 80 praticado na clínica do Dr. Burzynski, em Houston, com resultados bem mais promissores que os tradicionais. No japão já se fazem ensaios clínicos desde 2012.

Os antineoplastos foram descobertos em 1970, durante a investigação de doutoramento do médico. São derivados de peptídeos e aminoácidos e compôem um sistema de defesa que controla as células cancerosas sem destruir as saudáveis. São considerados agentes anti- neoplásicos e estão na base desta terapia gene-alvo que já curou muitos pacientes.

Deixo o documentário premiado de 2011, que explica bem as batalhas do Dr. Stanislaw com os interesses económicos e as guerras ganhas dos seus pacientes que venceram o cancro.

http://www.burzynskiclinic.com/




11 fevereiro, 2015

Aula- Mobilização acrómio-clavicular

Tratar o complexo do ombro é por vezes um desafio. É uma articulação complexa e a sua mecânica depende de movimentos articulares e inter-articulares simples e acessórios e de ritmos de movimento como o ritmo escápulo-toráxico ou escápulo-umeral. Como sempre, se a harmonia mecânica sofre alterações, as estruturas sensíveis à dor avisam que alguma coisa não está bem. Talvez o 'conflito de espaço subacromial' (nome genérico como a 'lombalgia' que não dz absolutamente nada a não ser o local da dor) seja o mais comum nos problemas do ombro. Neste 'conflito', o movimento acessório da articulação acrómio-clavicular está comumente disfuncional nos movimentos da gleno-umeral. Aqui fica uma amostra...


05 fevereiro, 2015

Síndrome do túnel társico


Síndrome do túnel társico é o homólogo do síndrome do túnel cárpico, mas no pé. É uma compressão do nervo tibial posterior na sua passagem pelo túnel társico. Este canal é formado pela parede posterior do maléolo interno, interna do calcâneo e retináculo flexor do pé. O nervo tibial, o maior dos 2 ramos do nervo ciático, passa na fossa popliteia, onde se divide em ramos articulares, interósseos, vasculares, musculares e no nervo sural interno. Continua pela perna, atravessa o túnel társico e por baixo do retináculo começa a dividir-se outra vez no nervo plantar lateral e interno (e depois em divisões digitais).
Caso clínico:
Rapariga, 14 anos, estudante e praticante de equitação de competição. Referenciada pela podologia e ortopedia. Dor há ano e meio na região do túnel társico, leve parestesia na zona e região plantar interna (esporádica e apenas com posição sustentada da flexão dorsal) com edema ligeiro. Dor na região popliteia em extensão forçada. Dor leve e irregular na lombar baixa ipisilateral.
Dados relevantes: Pé valgo, pé plano não acentuado, genu-curvado, anteversão da bacia, hiperlordose lombar. Palpação do nervo sintomática, testes de tensão neural positivos. Restante exame neurológico normal.
Raciocínio possível:
A posição de pronação do pé, diminui o arco interno do pé, desvia o calcâneo do eixo vertical, aumenta a tensão do retináculo flexor, faixa plantar e do nervo tibial posterior (e suas divisões) no seu trajecto. Este aumento de tensão é acentuado na fossa popliteia pelo genu-curvado. Dependendo do grau de tensão, impulsos neurais ortodrómicos e antidrómicos podem reproduzir sintomas até à sua origem (L4-S3). Uma inflamação neurogénica pode passar os tecidos extra neurais e vice-versa.
Tratamento:
Mobilização neural do tibial posterior (tanto no túnel como fossa popliteia); Mobilização articular do pé, tornozelo, joelho e lombar; Exercícios de mobilização neural activos (para fazer em casa); Ortótese plantar na Podologia. Resolveu em 2 tratamentos. Bom exemplo de trabalho de equipa.

Aula- Mobilização do grande nervo ciático e plexo braquial




Se tivesse de escolher uma característica de um sistema neuromusculo-esquelético saudável, diria a Fluídez. Todos os tecidos são compostos por células e numa perspectiva micro, as membranas das células (compostas por proteínas, fosfolípidos, colestrol, etc.) têm que ser fluídas o suficiente para permitir a entrada e saída de substâncias, característica essencial para o seu bom funcionamento  ou mesmo sobrevivência. Do ponto de vista macro, quer a fáscia, meninges, músculos, aponevroses, nervos ou o tecido conjuntivo que compôe este último, devem ter fluídez suficiente para permitir um deslize harmonioso e funcional sobre as estruturas vizinhas. Isso nem sempre acontece quando se pensa nas fibras do grande nervo ciático em relação à coluna lombar, ou ao plexo braquial na cervical. Aqui fica um bocadinho...

Ps: sim disse outra vez 'plexo cervical'...é da hora lol